Chuveirão Ecológico 3ª parte (Funciona!)

Veja aqui o começo desta saga e aqui a segunda parte.
theende

A união faz à força, nem que seja a força…
Era uma caixa d’água de 1000 litros, e o aquecedor ainda estava na metade da capacidade que teria… só que os kihus veteranos, que tinham feito a campanha #águaquentenochuveirão na temporada de Corpus Christi, para minha surpresa, estavam se mostrando bem preguiçosos para finalizar a montagem. Ah é? Pensei: “quem pediu vai ter, mas não sem participar”.. Na brincadeira do Circuitão, que é uma das que eles mais gostam, incluí uma tarefa simples para cada equipe: num dos postos da prova, montar duas linhas do aquecedor no menor tempo possível. Encaixar cada foguete de Tetra Pak® dentro de cada garrafa e cada garrafa no cano pintado de preto. Por último, unir os canos com os Ts e emendar os dois tubos. No final da brincadeira tínhamos montado a segunda parte toda do aquecedor com a colaboração de todos, mesmo que não tão voluntária assim…!
A revanche
Ao instalar a segunda metade do aquecedor, tínhamos as 14 fileiras de serpentina, além de duas saídas de ar, colocadas para evitar novamente o problema de bolha nos canos.,
A água quente agora estava fluindo muito melhor!
Subi com o remo e misturei a água novamente e a kihuzada tomou um ótimo banho morno no chuveirão. E assim foi pelo resto da temporada. Mas eu ainda não estava satisfeito. Ninguém merece um sistema que precise que alguém suba na caixa para misturar a água com um remo!? Precisava bolar uma maneira de ter acesso à água quente, de cima da caixa, antes da de baixo. Eu teria a 3a temporada inteira para tentar resolver este problema…
Inventando moda
Peguei uma mangueira flexível, (destes conduites usados para passar fio elétrico por dentro da parede), uni uma das pontas à saída do fundo da caixa, por onde sai a água para o chuveirão. Na outra ponta, prendi uma garrafinha de água mineral, cheia pela metade, deitada, amarrada a uma pedra comprida, com elásticos. Entre a garrafinha e a pedra, a outra ponta do conduite. Moral da história, a água quente que vai para o chuveirão, agora entrava pela ponta de cima do conduite, que, preso a esta garrafinha plástica,, está sempre próximo da superfície da água, boiando, onde a água é mais quente. Quando o nível baixa, pelo uso da água na hora do banho, a bóia baixa junto, e a água mais fria só é usada por último. Deste modo, sempre usamos primeiro a água mais quente.


Problema resolvido, para a alegria dos kihus da 3a temporada, que depois de escutarem toda a história da construção do aquecedor solar, puderam usufruir da primeira construção ecológica de muitas que teremos na na kihu.
E lá está ele agora, funcionando a pleno vapor, aguardando a kihuzada das próximas temporadas.
Agora que o Izael descobriu esse aquecedor, ele e outros vizinhos da região já começaram a juntar suas garrafas pet e embalagens Tetra Pak®. Missão cumprida!
– Kiiiiiiiiiiiiiiihuuuuuuu!